Envie uma mensagem
Chat
online
Fale com um consultor
Fale via whatsapp
BLOG

Guia completo para um investidor iniciante

08/04/2019
ASSINE NOSSA NEWSLETTER:

É comum que um investidor iniciante tenha dúvidas sobre as melhores formas de aplicar seu dinheiro. Embora na internet seja possível encontrar diversas dicas sobre o assunto, é sempre bom ficar atento para não cair em um golpe daqueles que prometem enriquecimento rápido.

Claro que aplicar seu dinheiro em fontes que proporcionam rendimentos a curto, médio e longo prazo é um caminho para aumentar seu patrimônio. Mas acreditar em fórmulas milagrosas, daquelas que prometem tornar você rico em com um capital investido baixo e em um período muito curto de tempo, é a receita para o fracasso na carreira de investidor.

Saber qual é a melhor opção de investimento para quem está em início de carreira nem sempre é fácil. Antes de entrar no ramo, é preciso entender muito sobre o assunto, para ter certeza de que está fazendo a escolha certa.

Então, se você é um investidor em início de carreira e ainda está inseguro sobre esse mercado, preparamos uma guia completo com diversas informações valiosas sobre o tema. Acompanhe!

Entenda o que é investimento

Muitas pessoas pensam que comprar um carro é uma boa opção de investimento para seu dinheiro. Mas será que isso é verdade? Tudo bem que ter um automóvel é muito mais confortável do que depender de transporte público, principalmente em dias de chuva. No entanto, manter um carro gera custos com seguro, gasolina, IPVA e diversas outas despesas. Sem falar que esse tipo de bem sofre depreciação com o passar dos anos. Então, comprar um carro não é um investimento, certo?

Investimento é quando você aplica seu dinheiro em alguma coisa que gera rendimentos a longo prazo, ou seja, quanto mais tempo seu capital fica aplicado, mais ele será valorizado. Isso porque há uma aplicação de juros compostos em cima daquele dinheiro durante o tempo em que ele está aplicado, o que faz com que a grana se multiplique.

O mecanismo funciona de maneira inversa a uma dívida a longo prazo. Ou seja, quanto mais tempo você leva para pagar aquela conta, mais juros se acumulam, resultando em um montante muito alto. O mesmo acontece em investimentos financeiros, só que ao contrário. Os “juros” vêm para você.

Outro fator importante, que deve ser ressaltado, é que investir é diferente de poupar. Quando você resolve poupar um dinheiro, na realidade, você estabelece uma meta para reservar uma quantia de seu salário para realizar um sonho como comprar um carro ou fazer uma festa. 

Investir não se trata de guardar dinheiro, mas de aplicá-lo, de forma que ele gere bons rendimentos no futuro. Então, apesar da caderneta de poupança ser considerada para muitas pessoas como uma forma de investimento, na realidade não é, pois o rendimento é muito baixo.

Descubra seu perfil de investidor

Para ser um investidor de sucesso, não basta ter um bom capital para aplicar. Além de entender sobre opções de investimento e mercado financeiro, você ainda precisa identificar qual seu perfil de investidor.

Isso porque o seu perfil diz muito a respeito de qual é a melhor opção para você aplicar seu dinheiro. Algumas pessoas se sentem inseguras em investir na bolsa de valores, por exemplo, pois apesar de a bolsa oferecer um rendimento alto, os riscos de perder dinheiro são muito grandes. 

Mas como saber meu perfil se ainda sou um investidor iniciante? A primeira dica é: pratique o autoconhecimento. Só assim você consegue identificar seus pontos fortes e pontos fracos e, enfim, decidir qual é o melhor tipo de investimento para você.

A seguir, vamos explicar quais são os perfis de investidor existentes e quais são as características de cada um deles. Para que você saiba em qual deles se encaixa, basta fazer uma autoanálise. Confira!

Perfil conservador

O investidor com perfil conservador é aquele que não está disposto a correr riscos, ou seja, ele não investe em uma aplicação em que possa perder dinheiro. Pessoas com esse perfil preferem investir com segurança e ter uma rentabilidade menor, do que aplicar seu dinheiro em algo que oferece altos rendimentos, mas riscos igualmente altos. 

Investidores conservadores dificilmente vão aplicar seu dinheiro na bolsa de valores, pois os riscos desse tipo de investimento são muito altos. Eles também preferem aplicações que oferecem um resgate mais rápido. As melhores opções de investimento para investidores conservadores são os de renda fixa, como CDB’s e Letras de Crédito Imobiliário, pois além de serem seguros, oferecem uma boa rentabilidade.

Perfil moderado

Investidores com esse perfil arriscam um pouco mais do que os conservadores, mas não estão dispostos a correr tantos riscos como o investidor arrojado, que falaremos a seguir. Ele arrisca um pouco mais porque quer ter melhores rendimentos e por isso, diversifica sua carteira de investimentos entre renda fixa, que é bastante seguro e ações, que apesar de oferecer riscos, tem uma rentabilidade bastante alta.

Perfil arrojado

O investidor arrojado é aquele que está disposto a correr riscos e perdas, principalmente a médio e longo prazo. Pessoas com esse perfil entendem que para ganhar muito é preciso correr riscos. Eles também investem alto, pois esperam ganhar um bom dinheiro com seu capital investido. Os objetivos do investidor arrojado são a longo prazo. Portanto, sua carteira de investimento pode ficar sujeita à volatilidade durante o período em que seu dinheiro estiver aplicado. 

Esse investidor tem um apetite por riscos tão alto quanto pela vontade de ganhar dinheiro. No entanto, ele faz tudo de forma calculada, evitando aplicar seu dinheiro sem projeções. Apesar de seu apetite por riscos, ele é inteligente e tem bom senso para não sofrer perdas desnecessárias e ter ganhos maiores.

Escolha uma boa corretora

É normal que um investidor iniciante tenha receio de abrir sua conta em uma corretora. Isso porque, para ele, é mais mais cômodo investir pelo próprio banco, afinal, ele já tem um relacionamento com a instituição e o gerente conhece bem suas finanças. Dessa forma, ele se sente mais seguro. 

Embora esse fator pareça vantajoso, bancos cobram taxas maiores do que corretoras, o que gera custos mais altos para os investidores. Isso ocorre principalmente em início de carreira, quando eles ainda não têm um capital muito alto para ser aplicado.

Além disso, bancos não oferecem tantas opções de aplicações como as corretoras, o que pode limitar sua carteira de investimentos, caso você queira escolher opções diferentes para multiplicar seu dinheiro. Outra desvantagem de bancos é que a rentabilidade de seus ativos é baixa.

Mas, para que você tenha sucesso, é preciso saber escolher sua corretora, levando em conta o tipo de investimento que você deseja fazer. Algumas empresas são ideais para quem deseja aplicar seu capital em títulos de renda fixa, já outras, são melhores para quem quer investir em renda variável.

Você pode abrir sua conta em apenas uma delas, ou em mais de uma, caso você queria diversificar sua carteira de investimentos. Dessa forma, você tem como aproveitar o melhor de cada uma delas. Se achar melhor, pode deixar todos os seus investimentos em somente uma corretora. O importante é optar por uma empresa confiável.

Para escolher uma boa corretora é essencial pesquisar diversas empresas e fazer um comparativo entre elas. Um ponto que deve ser observado é o custo da operação. Se a corretora cobra taxas muito altas, grande parte de sua rentabilidade fica no pagamento desses encargos, e, por isso, seus ganhos serão menores.

Os serviços e ferramentas oferecidos também devem ser analisados. Grande parte das corretoras de investimento dispõe de aplicativo para investidores, o que possibilita que você possa fazer uma aplicação a qualquer hora e a qualquer momento, sem a necessidade de ir até a empresa. Esse fator oferece bastante comodidade e, em tempo de tecnologia, uma corretora que não oferece esse tipo de aplicativo pode não ser a melhor opção para deixar seu dinheiro.

O atendimento ao cliente também é um ponto muito importante, que costuma ser negligenciado. Uma empresa séria é aquela que mantém uma equipe capacitada pronta para atender seus clientes no momento que surgem as dúvidas e dificuldades.

Defina seus objetivos financeiros

Definir seus objetivos financeiros é essencial para o sucesso, tanto para um investidor iniciante, quanto para um mais experiente. É esse fator que vai ajudar você a determinar qual será o capital investido, quanto tempo seu dinheiro vai ficar aplicado e qual tipo de investimento escolher, pois cada opção oferece rendimentos diferentes.

Esse objetivo pode ser aplicar seu dinheiro para mais tarde, investir em um imóvel, fazer uma festa, comprar um carro, fazer uma viagem com sua família entre outras inúmeras possibilidades. O mais importante, na verdade, é estabelecer um prazo para atingir sua meta.

Se você tem um filho que vai se casar em dois anos e deseja fazer uma festa para ele, deve escolher um ativo que ofereça bons rendimentos para esse período de tempo. Mas se seu objetivo é comprar um imóvel dentro de 5 anos, deve escolher outras opções mais longas. Vale ressaltar que, quanto mais tempo seu dinheiro fica investido, melhores são seus rendimentos.

É importante lembrar também que, além de prazos, seus objetivos têm um valor. Então, pense em quanto vai custar aquele apartamento que você quer comprar, e se o capital que você vai investir será o suficiente para gerar os rendimentos necessários para você atingir sua meta. 

Conheça os tipos de investimentos para seu perfil

Já falamos sobre os perfis de investidor para que você reconheça em qual deles se encaixa. Fazer essa autoanálise é importante para que você consiga escolher opções de investimento mais adequadas para você. Saber qual o melhor tipo de aplicação de acordo com seu perfil, evita que você tome decisões baseado na opinião dos outros e se fruste ou acabe tendo perdas desnecessárias.

Isso porque, se uma pessoa com o perfil conservador, por exemplo, investir na bolsa de valores, ele pode fica frustrado, caso tenha alguma perda. O contrário também pode acontecer, pois uma pessoa que está disposta a correr riscos para ter altos ganhos, pode se frustrar com aplicações de médio e longo prazo, que oferecem rentabilidade baixa, se comparadas a operações de risco.

A seguir, vamos citar quais são os melhores tipos de investimentos, de acordo com cada perfil de investidor.

Investimentos conservadores

Se seu perfil é conservador, os investimentos ideais são aqueles que oferecem boa rentabilidade e segurança. Veja quais são as melhores opções para esse tipo de investidor!

Imóveis

Investir em compra e venda de imóveis é uma opção muito segura para aplicar seu dinheiro, pois além de oferecer uma boa rentabilidade em longo prazo, não há risco de perder dinheiro.

Tesouro Direto

Consiste na compra de títulos públicos federais para pessoas físicas. Esse tipo de investimento se parece um pouco com a caderneta de poupança, mas oferece uma rentabilidade bem maior. Além disso, caso você queira resgatar seus títulos antes do fim do prazo de carência, não perde dinheiro. O melhor de tudo é que você não precisa aplicar um montante alto para começar.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Nessa modalidade de investimento, você empresta seu dinheiro para o banco e recebe ao final do contrato todo o dinheiro aplicado acrescido de juros. Quanto mais tempo de contrato, maiores os rendimentos.

Letras de Crédito Imobiliário (LCI)

Funciona de forma parecida com o CDB, mas, nesse caso, o banco utiliza os recursos para o financiamento de imóveis. A rentabilidade das letras de crédito varia de acordo com o período de contrato e da instituição financeira na qual você escolheu investir. A vantagem das LCIs é que não há cobrança de Imposto de Renda (IRRF), o que proporciona ganhos maiores.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

Semelhante ao anterior, mas, nesse caso, os recursos captados pela instituição financeira são utilizados para conceder crédito a produtores e cooperativas rurais. O risco de investimento é baixo e também não há incidência de Imposto de Renda sobre o valor aplicado, mas é necessário um valor mínimo para investir.

Investimentos moderados

A seguir, vamos citar as melhores opções para quem quer assumir um pouco mais de risco!

Fundos Imobiliários

São formados por grupos de investidores com o objetivo de aplicar recursos financeiros em todo o tipo de negócio voltado para o setor imobiliário. Nesse caso, o investidor adquire cotas e seus rendimentos dependem do valor aplicado. O investimento em cotas de Fundos Imobiliários oferece uma rentabilidade maior do que o mercado de ações, porém, os riscos são moderados.

Debêntures

Consiste em títulos de crédito que são emitidos por diversos tipos de empresas com a finalidade de financiar investimentos, pagar dívidas, fornecer capital de giro, entre outras coisas. A rentabilidade já é definida no momento da aplicação e, caso o investidor decida resgatar seus títulos antes do prazo acordado, os rendimentos podem ser maiores ou menores do que o previsto.

Investimentos arrojados

Você acha que seu perfil é arrojado e prefere arriscar para ganhar muito dinheiro? Então confira alguns investimentos que são ideais para você.

Ações na Bolsa de Valores

Nesse tipo de investimento, você compra uma parte ou partes de uma empresa, que são denominadas ações. Então, se torna sócio daquela companhia, recebendo lucros de acordo com o crescimento do negócio e do capital investido. Algumas empresas pagam os lucros mensalmente, outras trimestralmente.

É uma operação considerada de alto risco pois há variações nos preços das ações e, por isso, não há garantia de retorno do valor investido. Existe também o risco de não conseguir vender uma ação que tenha sido comprada, portanto, o ideal é não investir um capital que você vai precisar a curto prazo.

Certificado de Operações Estruturadas (COE)

É um investimento que une produtos de renda fixa com os de renda variável. Assim como o CDB, LCI e LCA, o COE é uma forma de captação de recursos por instituições financeiras, por meio da venda de títulos. 

Há um prazo definido para o resgate e não é aconselhável que o investidor descumpra essa regra porque ele vai perder parte dos rendimentos. O risco do COE é que, se a instituição financeira for à falência, você perde todo o dinheiro investido.

Defina as melhores estratégias para investir

Para um investidor iniciante, essa pode ser uma tarefa complicada, pois ele ainda está cheio de dúvidas a respeito do assunto. Mas não se preocupe, isso não é um privilégio somente seu, pois mesmo que uma pessoa já tenha mais experiência na área, ela pode ter que mudar suas estratégias.

Nesse momento, é essencial ter apoio de consultores especializados. Mas, como você ainda está no início de sua carreira de investidor, o ideal é que você comece investindo pouco dinheiro. Dessa forma, se acontecer algum contratempo, seu capital não estará todo comprometido com a aplicação.

Além disso,você precisa pensar em quando vai precisar dos rendimentos do dinheiro que vai aplicar. Caso você precise da quantia em um ano, fazer uma aplicação que só dará retorno em três anos não é uma boa estratégia.

Outro ponto que você deve ficar atento é à rentabilidade do ativo. Você deve tirar todas as suas dúvidas e fazer cálculos para saber qual serão os rendimentos das aplicações as quais você tem interesse. Dessa forma, é possível fazer a escolha certa e atingir sua meta dentro do prazo estabelecido.

As taxas e impostos que reincidem sobre cada aplicação também devem ser levadas em consideração, pois elas influenciam diretamente em seus ganhos financeiros.

Diversifique sua carteira

Um erro comum de investidores iniciantes — e de mais experientes também — é contar apenas com um tipo de investimento. Mesmo que você seja daquelas pessoas mais conservadoras, que não gosta de correr riscos, o ideal é escolher mais de uma opção para investir.

Isso porque elas oferecem rentabilidade, tempo de carência e regras para resgate antes do prazo diferentes. Além disso, aplicar seu dinheiro em investimentos a médio, curto e longo prazo é uma boa forma de nunca ficar sem capital e estar sempre reaplicando sua quantia.

Por exemplo: se você quer comprar imóveis para investimento, deve ter em mente que o retorno pode levar algum tempo, pois apesar de ser um bem com uma boa liquidez, nem sempre é possível revender o imóvel em curto prazo. Então, você aplica uma parte de seus rendimentos em títulos como LCI, LCA e CDB, que além de oferecer um retorno a médio prazo, ainda proporcionam uma boa rentabilidade.

Faça um acompanhamento de seus investimentos

Como um investidor iniciante, você pode negligenciar essa parte e isso é até compreensível, já que você entende que seus investimentos têm um prazo para resgate. No entanto, você deve acompanhar de perto como andam os rendimentos de suas aplicações, principalmente se optar por aplicar seus rendimentos em ativos de renda variável.

O acompanhamento é importante para que você saiba se há algum tempo de variação ou desvalorização de seus investimentos. Mas não precisa ficar neurótico e tirar extrato de sua conta todos os dias, pois isso pode ser ruim e deixar você pessimista quanto aos rendimentos de sua aplicação. Verificar os extratos uma vez por mês já é o suficiente.

No caso de você investir em renda fixa, esse monitoramento pode ser feito, mas você precisa ter em mente que, no ato da contratação, tanto a rentabilidade quanto o prazo para resgate já foram estabelecidos.

Busque aprender sempre

“Conhecimento é poder!”. Essa é uma frase muito difundida e extremante verdadeira, pois quanto mais você estuda sobre o mercado financeiro, tipos de investimento e rentabilidade oferecida por cada um deles, mais poderoso você se torna no setor de investimentos. Isso porque você será capaz de analisar qual a melhor opção para você  e ainda fazer projeções de acordo com as aplicações escolhidas.

Nesse cenário, acompanhar notícias sobre a economia nacional e internacional para entender de que forma isso pode interferir em suas aplicações, ler livros sobre o assunto e acompanhar blogs e canais online de especialistas no assunto são ótimas fontes de aprendizado. Há até mesmo filmes para investidor, como A Grande Aposta e O Lobo de Wall Street, que contam histórias reais de empreendedores de sucesso. Uma boa fonte de inspiração para quem está começando.

Como você pode ver, o campo de investimentos é muito vasto e contém muitas informações a respeito. As formas de investir o capital são as mais diversas, e dependem não apenas da quantia que você tem para investir, mas também do seu perfil como investidor.

Gostou desse guia completo para investidor iniciante? Ficou alguma dúvida? Deixe sua opinião nos comentários!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER: